Empresas que compram créditos judiciais: como escolher a certa

O mercado de aquisição de processos da Justiça vem crescendo no Brasil. Essa é uma alternativa para conseguir mais liquidez num cenário de crise econômica. Porém, para ter sucesso no negócio, você precisa saber como funcionam as empresas que compram créditos judiciais.

Hoje vamos tratar desse assunto. Fique conosco para entender o que é a cessão de crédito, quais são as vantagens dessa operação e como escolher a companhia intermediadora.

Compra e venda de créditos judiciais cresceu com a crise

Uma reportagem do Valor Econômico, publicada ainda em abril de 2020, destaca o crescimento do mercado de compra de processos judiciais. Esse é um segmento forte em países como Estados Unidos e Inglaterra, mas apenas agora vem despontando no Brasil.

O texto credita o boom ao cenário de juros baixos. Como o rendimento das aplicações financeiras tradicionais está aquém do esperado, os investidores precisam diversificar a carteira. Entram aí os ativos alternativos, ou seja, novas oportunidades de negócio.

Uma delas é a cessão de crédito. Nesse tipo de operação, o comprador antecipa os valores aos quais o autor da ação teria direito por vencer a disputa na Justiça. Em outras palavras, o investidor “compra a dívida” e assume a titularidade no processo.

A partir daí, ele será beneficiário do resultado da decisão judicial. Quando a parte perdedora pagar o que deve, com juros e correção monetária, o montante irá para a conta desse adquirente.

Vale lembrar que o autor da ação pode vender os créditos judiciais em parte ou na totalidade. O advogado também escolhe se deseja antecipar os honorários ou seguir no processo até o desfecho.

Aliás, esse é outro motivo para a popularização da compra e venda de créditos judiciais. Em meio à pandemia, algumas ações tiveram os prazos suspensos pelo Judiciário, o que comprometeu a renda dos profissionais. “Pense em um advogado que vive de êxito. Agora que a Justiça está parada, ele não recebe nada. Também é um autônomo que precisa de dinheiro”, explica um dos entrevistados ao Valor Econômico.

Como funciona a cessão de crédito

A reportagem mostra que as demandas trabalhistas são bastante comuns nesse meio. Porém, existem diversos processos que podem ser negociados, incluindo ações cíveis e disputas por precatórios/RPV. O artigo abaixo traz mais detalhes. Confira!

Saiba mais: Tipos de processo que você pode negociar via cessão de crédito

Mas, afinal, como acontece a cessão de créditos? Primeiro você deve encontrar uma companhia especializada, como a DigCap.

Nós não somos uma empresa que compra créditos judiciais. Na verdade, fazemos a intermediação entre quem adquire (investidor) e quem vende o processo (cedente).

Comece a cessão de crédito acessando o nosso site. Lá tem um passo a passo bem intuitivo para você seguir.

1. Cadastro e análise do crédito

Por exemplo, você quer vender o processo? Então cadastre seu crédito judicial na plataforma, que nossa equipe vai realizar uma análise do devedor e uma análise jurídica.

Esses procedimentos são importantes para entendermos se o caso é negociável. Entram em questão fatores como a existência de jurisprudência favorável, as condições financeiras da parte processada e o tempo até a matéria ser julgada, entre outros.

2. Negociação da proposta

Com base nessas informações, calculamos a possível quantia a receber e estabelecemos um deságio. Esse é um percentual de desconto em relação ao valor total da sentença, que torna a negociação mais atrativa aos investidores.

O deságio deve ser satisfatório ao vendedor antes mesmo de apresentarmos a proposta aos compradores. Por isso, enviamos a sugestão a você e negociamos um percentual adequado.

Após chegarmos a um consenso, repassamos a análise e a sugestão de venda a pessoas interessadas na compra do crédito judicial. A intenção é que ambas as partes, vendedor e comprador, saiam satisfeitas.

3. Venda do crédito judicial

Finalmente, terminada a fase de negociação, chega o momento da cessão de crédito propriamente dita. Nesse ponto nós redigimos um contrato que é enviado para sua assinatura digital. Isso mesmo: todas as etapas, da análise à assinatura da documentação, ocorrem pela internet. Adeus, burocracia!

O pagamento também é bem ágil. Se as partes optarem pela cessão de crédito sem homologação judicial, o investidor tem o prazo de cinco dias úteis, após a assinatura do contrato, para efetuar a transferência do valor combinado.

Agora, caso as partes optem pela cessão de crédito com homologação judicial, o contrato deverá passar primeiro pela autorização do juiz. Depois disso, o pagamento é feito em até cinco dias úteis.

Saiba mais: Por que homologar a cessão de crédito?

Vantagens da cessão de crédito

Na DigCap, a negociação dos créditos judiciais é uma situação ganha-ganha. Tanto quem vende quanto quem compra tira benefícios dessa operação.

Para o vendedor, trata-se de uma maneira de antecipar os recebíveis. Nunca é demais mencionar que o cumprimento de uma sentença judicial às vezes leva anos para acontecer, então é ótimo encontrar uma alternativa para diminuir esse caminho.

Com a cessão do crédito, o dinheiro fica liberado em poucos dias, geralmente à vista. E o cedente ainda tem a chance de se livrar do desgaste emocional decorrente de um processo longo.

Já quem compra vê essa transação como um investimento financeiro. Não bastasse o deságio, que por si só gera algum lucro na operação, ainda tem os juros e a correção monetária sobre o montante final.

Ou seja: quanto mais demorada for a espera, maior será o retorno sobre o valor. Nada muito diferente de algumas aplicações bancárias, né?

Como escolher a empresa que compra créditos judiciais

Agora que você já entendeu como funciona e quais são as vantagens da compra dos créditos judiciais, vamos a um último alerta. Esse tipo de operação é autorizado pelo Código Civil, mas deve ser conduzido por profissionais capacitados. Do contrário, as partes envolvidas correm risco de cair em um golpe ou sair em desvantagem na hora da negociação.

A dica para escolher a empresa de intermediação de créditos é pesquisar. Verifique a reputação da marca em sites de defesa do consumidor, como o Reclame Aqui, e peça ajuda a quem já recorreu a esse serviço.

Aqui no blog, temos um artigo explicando como a negociação com a DigCap é segura. Ainda, convidamos você a conferir a página Sobre Nós do nosso site, onde contamos um pouco de nossa história, apresentamos nosso propósito e reunimos depoimentos de alguns clientes. A satisfação do público reforça a credibilidade da plataforma DigCap no mercado. Conte conosco para compra e venda de créditos judiciais!