Consultar processo trabalhista: descubra como acompanhar sua ação

Toda pessoa autora de uma ação na Justiça pode acompanhar o andamento do caso. Hoje vamos explicar a você como consultar processo trabalhista pela internet. O procedimento é bem simples – basta ter as informações certas em mãos. Confira!

Como consultar processo trabalhista on-line

O primeiro passo para saber em que estágio se encontra sua ação judicial é acessar o site da Justiça do Trabalho. No link ao lado, há a relação de todos os TRTs, que são os Tribunais Regionais do Trabalho.

É importante saber em qual jurisdição o processo está correndo. Isso porque cada TRT julga apenas os casos referentes à sua região.

Por exemplo, quem vive no Rio Grande do Sul recorre ao TRT4. Já os habitantes do Ceará vão ao TRT7. Ao todo, são 24 TRTs no Brasil, abrangendo os 26 estados e o Distrito Federal (alguns tribunais englobam mais de uma unidade federativa).

Sabendo a qual TRT pertence o seu processo, basta clicar sobre o endereço correspondente. O site direcionará você à página do tribunal.

O campo Consulta Processual aparece em destaque na parte superior da tela. Essa é a ferramenta de busca que você vai usar, como se fosse uma pesquisa no Google.

Agora é só inserir os dados necessários. Dá para consultar processo trabalhista apenas com o código identificador da ação judicial. Portanto, lembre-se de ter consigo o número do processo.

Também é importante saber se trata-se de um processo em papel (Físico) ou de um processo judicial eletrônico (PJe), pois alguns sistemas ainda solicitam essas informações. Vale lembrar que a maioria das ações trabalhistas de hoje já é totalmente digital, o que facilita bastante a pesquisa.

Quanto tempo demora um processo trabalhista?

Ao consultar o processo trabalhista pela internet, você encontra todos os dados referentes à ação. Constam no site, por exemplo, a vara de tramitação e o estágio de andamento do caso.

É nesse ponto que muita gente percebe a morosidade do Sistema Judiciário. Às vezes parece que a Justiça empaca!

Segundo a edição mais recente do relatório Justiça em Números, o tempo médio de um processo na Justiça do Trabalho é de 3 anos e 1 mês. Claro que alguns têm desfecho mais cedo. Porém, em contrapartida, outros se arrastam por vários anos, indo parar inclusive nas instâncias superiores.

Em face dessa demora, quem entrou com a ação judicial tenta encontrar maneiras de acelerar a resolução do caso. Uma saída possível é a cessão de crédito trabalhista, que funciona como uma espécie de venda.

Saiba mais: Quanto tempo demora um processo no Brasil?

É possível vender o processo trabalhista? Como?

Ação trabalhista é apenas um dos tipos de processos que podem ser negociados via cessão de crédito. Essa operação, permitida pelo Código Civil, também vale para ações cíveis e para pagamentos de precatórios ou RPVs.

O procedimento funciona como uma venda do processo. Você, autor da ação na Justiça do Trabalho, cede parte ou a totalidade da quantia que tem a receber. O comprador, então, paga esse valor em poucos dias úteis.

Com a antecipação dos créditos judiciais na totalidade, você nem precisa mais consultar o processo trabalhista on-line. Isso porque a pessoa que comprou a ação assume o lugar de credora.

É como se, a partir de agora, o comprador fosse o autor da ação judicial. Desse modo, quando houver o cumprimento da sentença, a parte derrotada no processo deverá pagamento a esse terceiro, e não mais a você.

Resumindo: você se livra das amarras judiciais e ainda embolsa o dinheiro mais cedo. Claro que haverá um deságio – um desconto em relação à quantia da sentença – para tornar o negócio mais atrativo a investidores. Ainda assim, é possível chegar a um valor satisfatório na cessão de crédito trabalhista.

Quer saber mais detalhes? Então confira o link abaixo. No artigo, explicamos o passo a passo do procedimento de compra e venda de créditos judiciais. Todas as etapas são realizadas pela internet, com intermédio da plataforma DigCap. É uma solução segura, transparente e justa para os envolvidos.

Saiba mais: Venda de créditos judiciais passo a passo

Homologação de cessão de crédito trabalhista funciona

Talvez você já tenha escutado que a venda de processo trabalhista não funciona. Esse mito tem a ver com discussões que, de fato, ocorreram no meio jurídico, mas que foram superadas.

Por exemplo, imagine que você tenha ido à Justiça do Trabalho para reivindicar salários atrasados. Essa verba é do tipo alimentar, ou seja, serve para a subsistência da pessoa. E pagamentos dessa natureza não poderiam ser negociados via cessão de crédito.

Contudo, parte da doutrina defende que restringir a possibilidade de venda violaria a liberdade e a autonomia do trabalhador. Fora isso, a cessão do crédito trabalhista pode suprir necessidades básicas, como a compra de comida e o pagamento do aluguel. Portanto, os magistrados não costumam ver obstáculos para a autorização desse tipo de operação.

Se você deseja fechar um acordo com ainda mais segurança jurídica, pode solicitar a homologação da cessão de crédito. Basicamente, essa é uma autorização do juiz responsável pelo processo, confirmando que a transferência de titularidade da ação ocorreu nos conformes da lei.

Aqui no blog, temos um artigo que aborda especificamente a homologação da cessão de crédito trabalhista. O texto traz, até mesmo, um caso real envolvendo a cessão parcial do crédito de um cliente da DigCap.

Venda seu crédito trabalhista com a DigCap

Gostou do artigo de hoje? Esperamos que o conteúdo tenha sido útil.

Como você pôde perceber, é bem fácil consultar processo trabalhista pela internet. No entanto, se o andamento da ação não atende às suas necessidades, a solução está na venda via cessão de crédito.

Com a DigCap, esse procedimento também é supersimples e totalmente digital. Somos a primeira plataforma de intermediação de créditos judiciais 100% on-line do Brasil. Conte conosco! Confira o passo a passo para vender seus créditos trabalhistas em nosso site. Nós podemos ajudar você a antecipar valores que são seus por direito.

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn